Comente esta publicação.

O Poder da Oração

" A oração de um justo é poderosa e eficaz" (Tiago 5:16)

Orar não pode ser opcional na sua vida, pois é por meio da oração que você entra em comunhão com Deus e abre caminho para que Ele realize todos os planos que tem para nós. A melhor definição encontra-se, é obvio, na Bíblia. Nenhum conceito teológico expressa com a mesma clareza e simplicidade o que ela significa. A oração é, segundo as Escrituras, uma via de mão dupla através da qual o crente, com seu clamor, chega à presença de Deus, e este vem ao seu encontro, com as respostas.

"Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes."
 (Jeremias 33:3)

 

A oração é fruto espontâneo da consciência de um relacionamento pessoal com o Todo-Poderoso, onde não há espaço para o monólogo, pois quem ora não apenas fala, mas também precisa estar disposto a ouvir. É um diálogo onde o crente aprofunda sua comunhão com Deus e ambos conversam numa linguagem que tem como intérprete o Espírito Santo.

 

Orar não pode ser visto como ato de penitência para meramente subjugar a carne. Em nenhum momento a Bíblia traz esta ênfase. Oração não é castigo (assim como a leitura das Escrituras), idéia que alguns pais equivocadamente passam para os filhos, quando os ordena a orar como disciplina por alguma desobediência. Eles acabam criando uma verdadeira repulsa à vida de oração, desconhecendo o verdadeiro valor que ela representa para as suas vidas, por terem aprendido pela prática a reconhecê-la apenas como meio de castigo pessoal. Ao contrário, se aprenderem que orar é ato que eleva o espírito e brota de maneira espontânea do coração consciente de sua indispensabilidade, como ensina a Bíblia, saberão cultivar a oração como exercício de profunda amizade com Deus que resulta em crescimento espiritual.

 

Podemos observar o valor da oração observando os heróis da fé descritos em Hebreus 11, que exercitaram sua fé através da oração. Não só eles, mas outros personagens da Bíblia tiveram igual experiência. A Bíblia está repleta de exemplos onde orações fervorosas foram atendidas. Por exemplo, Ana não conseguia engravidar, mas o Senhor respondeu a sua oração e ela deu à luz a um menino, Samuel, que se tornou um grande profeta (cf. 1 Samuel 1:9-20).

 

Paulo e Silas estavam na prisão para pregar o evangelho. Mas em vez de reclamar, eles cantavam louvores a Deus. Sua situação foi revertida inteiramente por meio da oração e eles foram libertados da prisão (cf. Atos 16:22-35).
Pedro também foi preso por pregar o evangelho. A igreja se reuniu e orou e em poucas horas, suas orações foram respondidas e ele foi libertado (cf. Atos 12:5-10).

O profeta Elias orou e a chuva parou. Mais tarde, orou novamente e a chuva voltou a cair. Ele era um homem de oração e Deus respondia às suas orações (cf. 1 Reis 17 e 18).

Podemos ouvir histórias como essas e pensar: ‘Ah, mas essas eram pessoas de fé. Eu sou apenas uma pessoa comum. Certamente Deus não ouve a minha oração como ouvia a delas’. Mas isso não é verdade. Elias era um homem de natureza exatamente como a nossa (cf. Tiago 5:17). Era um homem comum, feito de carne e osso.

O que claramente se destaca em toda a Bíblia é que a oração pode mudar radicalmente as coisas. E o mais importante: a oração pode mudar você.

 

Por Rodrigo Eduardo

Comentários